Carneirinho # 2


Nasceu mais um. O M. gostou tanto que vou ter que fazer um especial para ele... Pensei que por já ter 6 anos não ligaria muito a um boneco em tons suaves e com um guizo. Mas enganei-me, felizmente.
Porque a verdade é que nos tentam impingir coisas erradas, feias, longe de satisfazerem a nossa realidade interior - desde que nascemos. E depois passamos a maior parte da vida a tentar recuperar a nossa essência tão mal-tratada.
De há uns anos para cá que me sinto fisicamente incomodada dentro de certos espaços fechados: os hipermercados, os supermercados, os centros comerciais... Evito ao máximo. Como um alimento que descobrimos que nos faz mal: evita-se. Além de ser um espaço anti-natural e viciado, é feio. Não há originalidade, criatividade, verdade.
Quem já não perdeu tempo a olhar para aquelas prateleiras dos brinquedos, não encontrando nada que realmente gostasse? E quem já não comprou brinquedos (ou roupa!) só porque não havia nada melhor e tinha mesmo que comprar algo?
Também já o fiz. Mas não hei-de fazer muito mais vezes, de certeza. Porque há muitas opções, podem é não estar naquelas prateleiras.
Acreditem, as crianças também não gostam de tudo o que lhe apresentam. Apenas precisam ter acesso a outras realidades. E tantas que há!
Vamos mudar o mundo, começando pela nossa casa!

4 comentários:

reimão disse...

olá gostei muito do modo como falas e do que falas pois revejo-me em muitas coisas. grande part das coisas que vou coleccionando ou me são oferecidas ou eu ando a vasculhar feiras e leiloes

um abraço

rute

Virgínia disse...

Não sabes o bem que fazes ao lembrar-me de coisas que pensava terem desaparecido!
Idem idem aspas aspas :)

♥ tm disse...

Estou totalmente de acordo...
:)

Vamos mudar!!!!

maman xuxudidi disse...

Há já muio que mudei! E estamos todos felizes em casa. O carneiro é um mimo:)