entre tanto

* foto encontrada aqui

A casa continua por limpar, outra coisa não seria de esperar.

As prendas, na maioria ainda por sair da cabeça.

Novidades para a loja, por fotografar, a culpa é da casa que é escura.

Entretanto:

Encontrei na Pais & Filhos um artigo que me trouxe alguma esperança. Trata-se de uma entrevista ao Dr. Gerd Eldering, especialista em ginecologia, obstretícia e perinatologia na Alemanha que se encontra em Portugal para ajudar os profissionais da MAC a desenvolverem uma unidade de parto natural.

- Quando começou a fazer partos naturais?

- Eu não faço partos, quem faz os partos são as mulheres grávidas.

(...) - Acho que em muitos hospitais portugueses há muita violência: a privacidade não é prioritária. Vi salas de parto, que deviam ter um ambiente íntimo, com um vidro enorme na porta, por onde qualquer pessoa pode espreitar.

(...) - E há ainda a entrada de internos que entram, avaliam ,vêem, etc.

- Acho incrível e inaceitável esse tipo de situações e estou convencido de que se fosse apresentado na União Europeia, haveria consequências. A falta de intimidade dessa forma viola os direitos humanos.


Mais sobre o tema aqui, aqui e claro, aqui.

Agora tenho mesmo que voltar para a máquina de costura.

3 comentários:

Anónimo disse...

E não é só a falta de privacidade; são os partos marcados e provocados ( induzidos ) para conveniência do calendário dos médicos mercenários, são os cortes sistemáticos quando não teriam de acontecer sempre, são as cesarianas em número superior a tudo o que seria esperável apenas porque facilita a equipa médica, é ainda a posição ridícula em que as mulheres são colocadas para facilitar a dita equipa de meros extractores ( com enormíssimo prejuízo para a mãe e para o bebé ), são as luzes, o barulho, a impessoalidade, a bestialidade e mecanicidade civilizacionais ab initio! Ou seja, é a morte do homem apresentada desde o nascimento da máquina.

Osho perguntava-se algo muito interessante e de resposta eloquente : porque razão, havendo probabilidades distribuídas equitativamente, nasce a humanidade quase toda de noite?


P

Virgínia disse...

Concordo plenamente. Eu senti que o meu parto foi completamente violado, um dia ainda ganho coragem para o contar do princípio ao fim. Quanto à pergunta de Osho atrevo-me a pensar na resposta. Será??

Meninheira disse...

Na Espanha acontece o mesmo :(

Um beijinho *


O parto é noso!!