da garagem




A escola dos anões, uma história de Marianne Bock-Hartmann, desenhos de Felicitas Kuhn, Editorial Infantil Majora.

Este tempo tem trazido algumas coisas boas. Tenho conseguido convencer a família a abrir as caixas esquecidas ao longo dos anos. Muito pó, muita humidade, e muitos ahhhhs e ohhhs de momentos que se julgavam perdidos e que afinal ainda lá estão, dentro de quem os viveu.


E não há dúvida. Os brinquedos deixam marca, ajudam a descobrir quem somos, a construir os nossos sonhos, a descobrir quem queremos ser.


E uma boa notícia no jornal Telegraaf: a campanha Feed Me Better, que Jamie Oliver iniciou em 2004 pelas cantinas das escolas britânicas está a dar frutos, como seria de esperar. As notas estão a subir, as faltas por doença estão a descer, e as crianças estão mais calmas.

6 comentários:

R. disse...

Que seja um exemplo a seguir para mais escolas,mais países e pais.

Anónimo disse...

Tive este livro e habitei-o até ficar por ele habitado.
É como se tivesses mostrado cardiografias minhas... não sei onde está o livro nem tampouco o menino que o lia.

Pedro

P.S. - No outro dia maravilhava-me com a obra de Mark Ryden, mas agora, revendo estes desenhos tão mais básicos, senti-me exorbitado como nem a mais fina arte promove.

Virgínia disse...

Fico muito contente por ter atingido alguém :) Bom fim-de-semana!

Pequete disse...

Embora comente pouco, visito regularmente o Amo-te Mil Milhões, e gosto muito de tudo o que aqui leio e vejo. Por isso, atribuí-te um prémio, que podes recolher em:
http://pesnarelva.wordpress.com/
e dá-lo a outras seis mulheres que aches que o merecem (bem sei, dá uma trabalheira - foi o que eu pensei quando tive que fazer o mesmo - mas acaba por valer a pena!).

Meninheira disse...

O novo cabeçalho é muito bonito Virginia :)

Virgínia disse...

Querida Pequete, não consigo lembrar-me da password para poder deixar um comentário no Pés da Relva...

OBRIGADA! Que bom que é começar a semana desta maneira!É a primeira vez que recebo algo deste género. Gostei muito das tuas palavras: " o blog de uma mãe que não faz ensino doméstico, mas que podia muito bem fazer". Na minha vida idealizada, de certeza que assim faria. Admiro-te muito por isso. Um grande, grande abraço.
Agora, mãos à obra e passar o testemunho!