a história da árvore

Quando viemos ver esta casa pela primeira vez, sentei-me e olhei pela janela. Era uma árvore linda, frondosa. As folhas brilhavam ao sol, cintilantes, cada uma independente da outra. Ouviam-se as folhas ao vento. Aceitei ficar com a casa por causa daquela árvore. Lembrou-me uma outra com que tinha sonhado.
Estava eu deitada em cima de uma mesa, morta, lá fora ouvia os cascos de cavalos na calçada, que me esperavam. Eu abri os olhos, estava sozinha na sala. Olhei em frente, por uma janela sem vidro, era uma casa pobre. E lá fora estava uma árvore. Linda, frondosa. As suas folhas balançavam com a brisa suave e quente e eu senti-me em paz.
Quando a vi, nesta casa, pensei que era aqui que deveria morar e talvez ficar até morrer, como no sonho.
Há uns meses passou por aqui um temporal. O vento foi tanto que a partiu ao meio. Vieram os bombeiros de madrugada retirar o que caiu do meio da estrada. Chamei-a de vitoriosa. Porque apesar de tudo se tinha aguentado em pé. Como as árvores fazem. Morrem de pé.
O Miguel chorou pela árvore e eu também. Os galhos ficaram cinzentos para sempre, até hoje.
Hoje olhámos pela janela e estavam a cortar-lhe os galhos. O Miguel ficou a olhar, preocupado. Quando o fui levar à escola disse-me que quando voltasse queria saber o que lhe tinham feito na sua ausência.
E agora estão lá. A cortar a árvore toda. O barulho da serra ensurdecedora.
Já está. Tombada. A árvore que me trouxe aqui e que ia ficar comigo até à morte.
E o Miguel que está a chegar.

11 comentários:

sofia disse...

Espero que plantem outra no seu lugar
E pelo menos tão bonita como essa
Que seja jovem e forte como o Miguel
Para que seja a árvore dele, a árvore que ele veja crescer
Oxalá assim aconteça
Beijinho

karura disse...

Senti exactamente o mesmo. Antes de me mudar para esta casa morava em LX, num predio igual a muitos. Mas gostava de la morar porque mesmo em frente do prédio havia uma árvore enorme. Como eu cresci naquela rua mas num predio mais á frente, desde sempre conhecia ali aquela árvore. Lembro-me dela ainda bastantre jovem,com os anos o caule foi engrossando. Tornou-se buma árvore linda, esbelta, altiva, da janela do meu quarto via-lhe um pouco da copa, dir-se-ia que se quisesse fugir de casa, bastava dar um pulinho e poderia deixar-me escorregar por ela abaixo. No outro dia quando fui visitar a minha mãe tinha-na cortado! POrquê??? Lembro-me perfeitamente de estar á janela e de pensar que não gostaria de ali viver sem ter aquela beleza como vista diária. Senti o meu coração a ficar pequenino!

Owl_mania disse...

Nem sei que te diga! Fiquei comovida! É tão mau cortarem as "nossas árvores"... Parte de nós vai com elas!

vera disse...

Ohhhh e não haveria mesmo hipótese de a manter, depois de podá-la ? que triste !
uma árvore leva tanto tempo a crescer e ficar frondosa ...

By Deva disse...

É entristecedor saber e ver a morte de uma árvore, é um vazio sem explicação e palavras...

Marta disse...

Conheço tão bem esse barulho horrível e ensurdecedor :((
Há uns anos cortaram todas as árvores da minha rua, onde habitavam centenas de pássaros e que tornavam a rua fresca no verão e aconchegante no inverno. Árvores lindas! Grandes e frondosas, tal como descreveste essa. Estas árvores tinham cerca de 50 anos... quando eu nasci elas já cá estavam...estas árvores foram cortadas porque os meus vizinhos da frente não as queriam... que lhes estragavam os muros do quintal... nunca mais cumprimentei os meus vizinhos... hoje a rua continua despida... quente no verão e fria no inverno... e os pássaros não mais regressaram porque perderam a sua casa :((

Marta Ficus

alexa violeta disse...

De cada vez que cortam uma árvore o ser humano fica mais estúpido! É a única coisa que consigo dizer para tamanha insensatez!

maman xuxudidi disse...

Talvez esteja na altura de também mudares!

O teu testemunho não deixa de ser muito bonito para assinalar este dia tão especial! No nosso jardim costumamos acolher as árvores que os outros já não querem. Um desperdício que faz a nossa alegria!

MagicWoman disse...

Olá,

Talvez dê para plantar outra árvore, ou um pequena planta.

bejinhos

Ines disse...

Sinto muito pela sua árvore. Espero que tanto o Miguel como a Virgina fiquem bem. No JB de Coimbra existe uma árvore bicentenária que foi atacada por um fundo e que "comeu" todo o interior. Está assim há 2 ou 3 anos e msm assim "agarra-se" à vida e ainda agr está a dar folhas...muito timidamente. Não fique triste, elas são tão resistentes durante a vida que chega uma altura que precisam de "descansar".
Um beijinhos muito grande de animo
Ines

Judy disse...

Passamos por situação parecida porém aqui não foi a natureza que forçou a queda mas sim a tirania e arrogância humana.
Para nossa alegria e da passarinhada em frente de casa viviam jambolões, abacateiros, goiabeiras e outras árvores nativas, certo dia vieram os homens da prefeitura para construir uma praça, chegaram com tratores e serras e arrancaram o abacateiro.
Tentamos impedir que continuassem, chamaram os "chefes" e eles nos disseram que:
_ árvores com frutas sujariam o chão da praça.
Não houve acordo, foi muito, muito triste vê-las tombar, junto de cada uma foi um pouco de mim.
Infelizmente a insensatez, estupidez e arrogância de alguns humanos parecem não ter limites.