dos meus dias

ao fim da tarde

ao fim da tarde

Ao fim da tarde, pelas seis horas, a luz do sol entra na sala abruptamente e fere-me os olhos. Todos os dias, pela mesma hora, chego-me à janela de olho semicerrado, praguejo um pouco e fecho o estore. A verdade é que me sabe bem, esta luz ao fim da tarde.
Estou quase quase a acabar uma encomenda que me tem mantido ocupada durante o último mês. Já estou com saudades de fazer bonecos.

4 comentários:

Alexandra Durão disse...

É aquele sol que incomoda por ser demasiado e que quando não o temos lhe sentimos a falta, é esse não é?

Virgínia disse...

esse mesmo :)

margarida disse...

Na minha sala é de manhã! Até dói. Mas é bom. Uma casa inundada de luz é uma casa de alma cheia. Bom fim de encomenda, bom início de bonecos!

Virgínia disse...

obrigada, Margarida! Um bom fim-de-semana!