domingo foi dia de carta de amor

meu querido Miguel


Meu querido Miguel, 
cartas de amor são difíceis de escrever. Quando o amor é verdadeiro, como o meu por ti, são quase impossíveis de escrever. Um abraço é fácil. Um abraço grande, quente, demorado, daqueles que te trazem para dentro de mim outra vez. Completos. Inteiros. Mãe e filho.
Fazes onze anos. Onze anos já são uma vida. Já passaste por tanto, já cresceste tanto. E eu só queria que ao crescer continuasses leve, como só as crianças sabem ser. 
Meu querido Miguel, 
cartas de mãe são tão difíceis de escrever. As mães têm tantos medos!
Escrevo-te aquilo que me ouves dizer tantas vezes: que és a pessoa mais especial deste mundo, que é uma honra ter sido escolhida para te dar à luz e para crescer junto de ti, que me ensinas tanto, que quero ser melhor por ti.

És o meu grande amor, meu amor grande, estou a ficar pequena e tu cada vez maior.

O meu amor por ti faz o planeta girar.


mãe

7 comentários:

Alexandra Durão disse...

: ) !!!

Z disse...

Algumas cartas não precisam ser escritas. Estao escritas, sem tinta, sem letras....

Sinara Maria disse...

Tudo sempre tão profundo...tão bonito, tão leve e cheio de amor. Muito bom ler teus textos sempre- Vivos. Um abração pra você!

Naná disse...

E não há amor mais genuíno que este!

nobady's listen disse...

também tenho um Miguel de 11 anos ... que amo assim, numa amor sem fim ... beijinhos

Cristina Fonseca disse...

ADOREI!!!

Cristina Fonseca disse...

ADOREI!!!