a horta na varanda

horta na varanda horta na varanda horta na varanda

A varanda deve ter medo de mim. Sabe que ralho com a despensa por ser tão pequena e com a cave e a arrecadação por não existirem.
A verdade é que esta pobre coitada é uma valente varanda. Porque as varandas não se medem aos palmos. E esta tem um coração grande, só pode. 
Se queremos sentar e brincar, ela alarga e sentamos e brincamos. Se queremos deitar no chão e observar as estrelas, ela aquece e vemos as estrelas. Se queremos sentar os convidados ao fresco, ela organiza-se e recebe uns poucos de cada vez. Se queremos brincar às hortas, ela diz-nos que à direita é o sítio ideal e comprova-o com o cheiro maravilhoso do tomateiro que cresce muito mais do que era previsto, das hortelãs, do manjericão, dos oregãos. Se queremos pôr os miúdos de molho numa piscina, ela diz que é só encher que ainda cabe. Quem diria que ali ainda conseguiria estender roupa?
Não sei se me convences a ficar num apartamento, cara varanda, mas se o fizer será por ti.

4 comentários:

Andreia disse...

Magnífica varanda!

Ana Raquel disse...

que giras plantinhas!

www.margaridaflordaminhavida.blogspot.pt

Ágata disse...

Valentes varandas! Também tenho uma. Com um tomateiro que se tem vindo a agigantar, alfaces, manjericão, alho francês, hortelã, salsa e coentros, abóbora e um manjerico. :)

Diana Machado disse...

Que texto maravilhoso! ganhaste uma leitora