comigo

comigo

Vivo ao contrário. Transformo-me lentamente numa espécie de eremita da cidade. 
Cada vez com menos, o que não tenho, não gasto. O que sei fazer, faço. 
Quanto mais dou, mais leve me sinto e percebo que a vida, pelo menos a minha, é para ser vivida com frugalidade.