brincar







Brincar é a coisa mais fácil do mundo. E contudo, está a desaparecer. Não só é fácil como é necessária. Hoje em dia, troca-se o brincar pelo brinquedo. Os pais, por se sentirem culpados pela falta de tempo, tentem recompensar os filhos com o brinquedo mais caro que lhe podem dar. Os filhos aprendem a manipular rapidamente e num ápice, todos se perdem dentro dessa teia de aranha.
Cá em casa, depois do jantar é hora de brincar em família. Às cartas, um puzzle, o jogo do polícia e do ladrão... são momentos que acabam por ser muito divertidos também para os adultos, onde se esquece por uns momentos a rotina do dia. Se aos crescidos faz bem, o que fará aos mais pequenos!
De uma camisola se faz um boneco, de umas meias pode surgir um fantoche, e tudo elaborado em conjunto com as crianças. É tão fácil...! Não importa se não fica perfeito - eles vão gostar.
Aqui em cima, mais uns bonequinhos. O primeiro, feito de uma camisola guardada há anos por ter a certeza que serviria para alguma coisa, muito antes de me aventurar a fazer bonecos. Não sei bem se será um cão, parece-me que sim. Mas é bem-disposto e simpático. Ao seu lado, encontra-se um novo passarinho, muito tímido e um pouco desconfiado, que já encontrou ninho no quarto do M. Tenho a certeza que ali se sentirá amado.
Criem. Não interessa o quê.
A criatividade é o perfume da liberdade individual.

5 comentários:

Joana disse...

que bonequinhos tão giros! vou voltar aqui muitas vezes, parece-me...

ritaR disse...

estão muito giros, virgínia, parabéns!

Anónimo disse...

tem toda a razão. brincar, correr com as crianças não custa nada. jogar às cartas, qualquer coisa. que mãe preguiçosa sou, vou instituir essa brincadeira pós jantar.
um abraço
dora

Virgínia disse...

Assim a mãe não vai a correr para a cozinha de onde acabou de sair, eles não vão a correr para a frente da tv e a família fica a conhecer-se melhor. Constroi-se confiança, trabalha-se na unidade que a família está a deixar de ser.
Eu também não tenho sempre tempo, mas vamos sempre fazendo qualquer coisa.
Não desista! :)

isabel disse...

Uma história é o nosso momento em família também. E é muito bom!